“O preço da virgindade”

25 de setembro de 2012 16:52Comentários desativados

Hoje me deparei com uma situação inusitada (aqui), mas comum para profissionais do ramo. Estava lendo uma notícia onde uma jovem brasileira chamada Catarina virou notícia, pois promoveu junto com outro esperto que deverá levar algum trocado, a venda de sua virgindade através da internet. Pois bem, a garota vai perder o selo de garantia de pureza com um cidadão conhecido pelo pseudônimo “Benga JP”, pra essa futura “ex-moça”, (ainda um protótipo de prostituta), que em breve estará de fato entrando e fazendo a experiência em uma das profissões mais antigas do mundo (alguns dizem que é a mais antiga), poderia ser o “Kid bengala”, com certeza pra ela não faria muita diferença, pois conforme o texto, ela fala da sua educação baseada na filosofia, não será surpresa alguma, ela se preparou filosoficamente durante muito tempo para se tornar logo na sua primeira vez uma prostituta (definição de prostituta: Oferecer serviços sexuais com o objetivo de obter lucro), claro, ela fez um leilão virtual e conseguiu vender uma relação sexual por R$ 300 mil reais para o “Benga JP”. Uma p… adolescente percebeu que no futuro poderia arrecadar um bom dinheiro, segurou o espirito de b… dentro de si e finalmente aos 20 anos conseguirá receber de uma só vez o que jamais conseguiria economizar fazendo programas desde a adolescência. Na verdade a definição de estudo científico para se vender sexo fica longe de qualquer conceito  moral. Os livros de filosofia que esta moça leu de nada serviram, pois a temática do amor é comum a quase todos os filósofos gregos, entendido como um princípio que governa a união dos elementos naturais e como princípio de relação entre os seres humanos, mas jamais esse amor se relaciona como um negócio, onde se comercializa uma realação entre dois seres. ( isto nada tem a ver com filosofia, tem a ver com prostituição).

(de Alethia – Colaboradora)

Comentários no Facebook